Now loading.
Please wait.

Menu

FAQ - Dúvidas Frequentes

HomeFale ConoscoFAQ - Dúvidas Frequentes
HomeFale ConoscoFAQ - Dúvidas Frequentes
 
 
Vacina Imunizante
 
Com quanto tempo a pessoa fica protegida após a aplicação de uma vacina?
O desenvolvimento de anticorpos ocorre em média, após 15 dias da aplicação da vacina.
 
Existem vacinas que transmitem a doença?
Algumas vacinas que tem na sua composição microrganismos vivos (sarampo, caxumba, rubéola, varicela, febre amarela) podem apresentar como evento adverso uma reação vacinal semelhante a uma forma muito branda da doença que é autolimitada.
 
Pode-se tomar mais de uma vacina no mesmo dia?
Várias vacinas podem ser feitas no mesmo dia, desde que autorizadas tecnicamente através de estudos científicos. Elas devem ser aplicadas nas suas apresentações individuais e em locais anatômicos distintos. Sabemos que a aplicação simultânea de vacinas não aumenta os eventos adversos.
 
Quais as contra indicações para fazer uso de vacinas?
A primeira contra indicação é alergia a algum componente da vacina. Além disso, existem condições especiais de saúde onde a vacina pode ser contra-indicada ou adiada em função das alterações na imunidade do indivíduo.
Exemplos:
1- Imunodeficiências: Congênita / Adquiridas: neoplasias, tratamento com corticóides em doses imunossupressoras, transplantados de medula e órgãos sólidos, HIV/aids, etc.
2- Gravidez.
3- Doenças agudas febris graves.
4- Transfusão de sangue e derivados e outras.
Nessas situações é importante a avaliação de um médico para melhor decidir sobre o esquema vacinal mais adequado.
 
O que fazer se a dose de uma vacina não for aplicada no intervalo de tempo programado?
Completa-se o esquema, não é preciso recomeçar do zero. Toda dose de vacina administrada é aproveitada em função da memória imunológica do indivíduo e por esta razão só há necessidade de completar o restante do esquema vacinal. Exceção é a vacina contra cólera, pois se o intervalo entre as doses não for respeitado o esquema deve ser recomeçado.
 
Por que a vacina contra Rotavírus não deve ser aplicada fora das faixas etárias preconizadas?
A vacina contra Rotavírus não deve, de forma alguma, ser aplicada fora das faixas etárias estabelecidas, porque nos estudos realizados com a vacina anterior, foi documentado um maior risco de invaginação intestinal em crianças que utilizaram a vacina fora da faixa etária preconizada. As duas vacinas atualmente em uso foram avaliadas em faixas etárias bem estabelecidas, o que deve ser rigorosamente respeitado.
 
Qual a diferença entre vacina DPT convencional e acelular?
A vacina DPT (tríplice bacteriana) protege contra difteria, tétano e coqueluche. A DPT convencional utiliza na sua preparação a bactéria da coqueluche inteira. A acelular utiliza componentes purificados da bactéria e pode ter uma apresentação infantil (DTpa) e adulto (dTpa) . Essas vacinas se constituem a base de combinação de vacinas e por isso em geral são utilizadas conjuntamente na mesma aplicação com outras vacinas como hepatite B, Polio, H influenzae, etc.
 
Após uma exposição ao vírus da varicela, existe indicação de se tomar a vacina?
Sim, até 72 horas após o contágio somente para os que não tiveram a doença. Neste caso, a vacina pode evitar ou atenuar a doença.
 
Qual a diferença entre as vacinas contra pneumococo?
As vacinas contra a bactéria conhecida como pneumococo podem ser conjugadas ou polissacarídicas. As vacinas conjugadas disponíveis no momento são a 10 e a 13 valente, com os respectivos números de sorotipos do pneumococo. As vacinas conjugadas são utilizadas na rotina a partir dos 2 meses de vida, com a vantagem de induzirem memória imunológica e protegerem não só o indivíduo vacinado como também outras pessoas da comunidade, porque evitam o estado de portador dessa bactéria em orofaringe na pessoa vacinada. Sempre que possível o esquema primário deve ser feito com a mesma vacina.
A vacina polissacarídica com 23 sorotipos deve ser utilizada em todas as pessoas acima de 60 anos de idade.
Indivíduos portadores de condições de saúde que tenham diminuição da imunidade devem fazer esquema com os dois tipos de vacina, a 13 valente e em seguida a 23 valente, devendo antes ser avaliado por um médico.
 
Vacina Alergica
 
Quanto tempo dura o tratamento?
O tratamento com vacinas de alérgenos é de longo prazo, sendo a duração média de 3 anos, podendo chegar até a 5 anos. Por esta razão, não se deve esperar melhora clínica após curto prazo de tratamento e tampouco deve-se abandoná-lo por isso.
 
As vacinas de alérgenos causam reações?
Sim, as reações podem ser no local da aplicação da vacina ou generalizadas.

Reações locais: coceira, dor, vermelhidão e inchaço de até 5 cm de diâmetro, sendo consideradas normais. Em casos mais extensos comunicar ao médico antes de aplicar a próxima dose.
 
Reação generalizada: É extremamente rara e na maioria das vezes inicia-se com uma reação leve. Todavia, início de sintomas como espirros, coceira no nariz, coriza, obstrução nasal, tosse, chiado no peito, falta de ar, erupção cutânea, vermelhidão e coceira generalizada no corpo, recomenda procurar socorro imediato e, em seguida, comunicar a seu médico.
 
Quando devo parar o tratamento?
A decisão da interrupção do tratamento é do médico. Devem-se avaliar  a melhora da intensidade dos sintomas, duração, intervalos e redução da medicação e conseqüente melhora da qualidade de vida do paciente.
 
Do que é feita a vacina?
A vacina é composta pelas mesmas substâncias que causam alergia, como polens, vegetais, poeira e ácaros. As vacinas podem ser compostas para atender às características individuais (mais de uma alergia). Quanto maior a série, menos diluído o alérgeno é. Isso é feito para que seu organismo crie imunidade.
 
Como conservar sua vacina:
Após o diagnóstico e a prescrição, o paciente comprará a vacina e a levará para casa em um recipiente térmico. É importante salientar que a vacina deverá ficar na geladeira, mas não poderá ocorrer congelamento da mesma. O paciente levará um frasco que servirá para a série, ou um período da mesma. 
 
Como é feita a aplicação da vacina?
Geralmente são aplicações subcutâneas (sob a pele) ou orais. No caso das aplicações subcutâneas cada dose tem o intervalo de tempo prescrito pelo médico (por semana, por quinzena, etc). A vacina é aplicada 3 cm acima do cotovelo, para evitar dor. Há ainda a vacina oral que o paciente poderá fazer sua administração em casa.
 
Sites para busca e informação
 
Ministério da saúde: www.portalsaude.saude.gov.br
Sociedade brasileira de pediatria: www.sbp.com.br
Sociedade brasileira de infectologia: www.infectologia.org.br
Sociedade brasileira de iminização: www.sbim.org.br
Casa de vacinas: www.cadadevacinasgsk.com.br
Associação brasileira de alergia e imunilogia: www.sbai.org.br